Policial é preso após ter surto e fazer refém no Aeroporto de Cumbica

Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Ele usou um lápis para dominar e ameaçar uma funcionária da GOL e só se entregou após a chegada da Polícia Federal

Um homem foi preso na noite deste domingo (11) após fazer refém uma funcionária da empresa Gol linhas aéreas no Terminal 2 do Aeroporto Internacional de Cumbica.

A motivação não ficou clara, de acordo com imagens postadas em redes sociais, ele exigia a presença da Polícia Federal (PF) para se entregar. As autoridades informaram que o homem integra a polícia do Paraná e teve um “surto”.

Inicialmente, testemunhas relataram que o indivíduo estava armado com uma faca, mas, segundo a polícia, ele utilizou um lápis para ameaçar a funcionária da companhia aérea.

Os agentes iniciaram a negociação e ele se rendeu, liberando a refém sem ferimentos, segundo a PF e a companhia aérea, ela passa bem.

Nota da GRU Airport

A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, informa que na noite de 11 de abril os órgãos responsáveis pela segurança do Aeroporto foram acionados para controlar um passageiro que, utilizando uma caneta, fez uma tripulante como refém em um dos portões de embarque do terminal 2. A ocorrência foi controlada em poucos minutos pela Polícia Federal, em total segurança e não houve feridos. O incidente não impactou as atividades e as operações do aeroporto. O passageiro foi encaminhado para delegacia e as causas da ocorrência estão sendo apuradas pelas autoridades competentes.

Nota da companhia aérea GOL

A GOL está ciente do ocorrido no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport) hoje e informa que está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que não sofreu quaisquer ferimentos e encontra-se bem. A Polícia Federal está no comando das investigações e a Companhia está à disposição para prestar todo o suporte necessário. A ocorrência ficou restrita à sala de embarque do aeroporto e o envolvido no caso não era passageiro da GOL em nenhum dos seus trechos de origem ou destino.