GM do Brasil vai consertar respiradores do SUS contra coronavírus

0
1


source
General Motors arrow-options
Divulgação

Sede da General Motors no Brasil, em São Caetano do Sul (SP)

Seguindo os passos de sua matriz americana, a General Motors do Brasil anunciou que irá ajudar na reparação dos respiradores utilizados no tratamento dos casos mais graves da COVID-19 , doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 , para a rede do SUS. A iniciativa é uma parceria da GM com o SENAI e a Abeclin (Associação Brasileira de Engenharia Clínica), com aval do Ministério da Economia.

LEIA MAIS: Honda, BMW e Yamaha interrompem produção de motos em Manaus

O objetivo inicial será a reparação de 3 mil respiradores atualmente inativos na rede do SUS, mas a GM considera que o número final será bem maior. De acordo com Carlos Sakuramoto, gerente de inovação da marca, a meta é iniciar os reparos na semana que vem.

Carlos Zarlenga, presidente da General Motors na América do Sul, afirma que este é o momento para usar todas as armas contra o novo coronavírus. “A GM fará tudo que está ao seu alcance para ajudar o Brasil e o mundo a passarem por esse momento difícil”, disse o executivo.

LEIA MAIS: Veja o que mudou na legislação com a pandemia de COVID-19

Esforço coletivo

Tesla arrow-options
Divulgação

Criticado por não dispensar funcionários de suas fábricas, Elon Musk diz que Tesla produzirá respiradores

Nos Estados Unidos, país que poderá se tornar o novo epicentro da COVID-19 no mundo, uma ação conjunta fez Ford, General Motors e Tesla pararem parte de seu contingente para a fabricação de ventiladores mecânicos. A autorização veio do próprio presidente Donald Trump.

A Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos) já sinalizou que há interesse de repetir a prática no Brasil, com a utilização de impressoras 3D.

Importância dos respiradores

Respirador arrow-options
Reprodução/Shutterstock

Cerca de 20% dos pacientes infectados pelo novo coronavírus precisam de tratamento em respiradores

Nenhum sistema de saúde público ou privado no mundo está preparado para lidar com a pandemia do coronavírus, que costuma dobrar de tamanho na maioria dos países entre três e cinco dias. Estudos apontam que 80% dos contaminados pela COVID-19 têm poucos sintomas, ou praticamente nenhum. Os outros 15% precisam de apoio médico no hospital, enquanto os últimos 5% necessitam de internação na UTI.

LEIA MAIS: Veja como limpar seu carro corretamente, por dentro e por fora

Em todo o mundo, engenheiros da área da saúde trabalham na adaptação dos respiradores para que possam atender até dois pacientes ao mesmo tempo. Dessa forma, seria possível dobrar a capacidade de atendimento do sistema público, reduzindo a taxa de mortalidade e os danos causados pelo novo coronavírus.

Acompanhe todos os detalhes sobre o coronavírus SARS-CoV-2 no  iG Saúde

Fonte: IG CARROS