Sindicatos que representam trabalhadores da CPTM anunciam greve para esta quinta-feira (15)

Foto: Divulgação/CPTM

Audiência de conciliação está marcada para esta quarta-feira (14) na sede do TRT

Os Sindicatos da Sorocabana, São Paulo e Engenheiros, que representam os trabalhadores da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), anunciaram que pretendem manter a decisão, que foi tomada em assembleias realizadas na última semana, de entrar em greve a partir desta quinta-feira (15).

Segundo comunicado coletivo das entidades divulgado para a imprensa, o que motiva a paralisação é o pagamento da PPR (Programa de Participação nos Resultados) referente ao ano de 2020 que ainda não foi pago e deveria ter sido quitado em março deste ano.

Os Sindicatos representam os funcionários das linhas 7, 8, 9 e 10, porém a paralização deve afetar a operação de todas as linhas.

A CPTM não realiza reajustes salariais há dois anos, e atualmente no ACT 21/22, está atrasando a data-base da nova proposta e colocando em risco a saúde financeira dos ferroviários.

“A empresa insiste em reajuste zero pelo segundo ano consecutivo. Eles não querem acertar os valores do salário, Vale Refeição, Vale Alimentação, de nada, mas o preço aumentou, o salário não dá mais conta de pagar itens básicos. É preciso entendimento e respeito da CPTM com os ferroviários para que o serviço continue funcionando”, disse José Claudinei Messias, presidente interino do Sindicato da Sorocabana.

A categoria enfatiza que os ferroviários estão na linha de frente e são considerados categoria essencial, sem qualquer consideração pela empresa ou Governo Estadual. Além disso, reclamam que durante a pandemia tiveram de comprar seus equipamentos de segurança, como máscara e álcool gel, que passaram a ser fornecidos somente após decisão judicial após ação judicial do Sindicato e Ministério Público.

Os Sindicatos informaram que entraram com uma ação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) para requerer que a CPTM assine o Acordo Coletivo de Trabalho completo. Foi marcada uma audiência de conciliação para esta quarta-feira (14), às 16h, na sede do TRT, em São Paulo e posteriormente às 18h os Sindicatos farão em suas sedes novas assembleias.

A posição das entidades até o momento, é de que a greve está mantida a partir da 0 hora do dia 15 de julho, sem previsão de término.