Assim como SP, Guarulhos faz inquérito sorológico antes da volta às aulas

Fotos: Camila Rhodes/PMG

A iniciativa não foi divulgada pela Prefeitura de Guarulhos que informou apenas que são as escolas responsáveis por encaminhar alunos para a testagem em três pontos da cidade

Guarulhos iniciou nesta semana um levantamento sorológico com alunos do ensino fundamental da rede municipal. A iniciativa de testagem acontece antes da retomada das aulas presenciais, que vai acontecer de forma gradual e facultativa a partir de fevereiro.

O exame foi realizado no Salão de Artes do Adamastor Centro ontem (13) e acontece nesta quinta-feira (14) no CEU Bonsucesso e na sexta-feira (15) no CEU Pimentas. A escolha dos testes foi pelo formato de coleta de sangue, através de uma picada no dedo.

Os testes integram um conjunto de ações da Secretaria da Educação para a retomada das aulas presenciais e fornece um mapeamento de quem já teve ou não contato com o vírus. De acordo com o secretário de Educação, Paulo Matheus, os testes realizados atendem a uma metodologia científica elaborada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

“Essa amostragem permite a compreensão de como o vírus está se comportando em meio à comunidade escolar. Essas informações vão compor o banco de dados da Secretaria da Saúde para que a autoridade sanitária do município possa tomar providências o mais rápido possível”, enfatiza Matheus.

Inquérito Sorológico em Guarulhos

O teste sorológico feito em crianças com idades entre seis e 11 anos é capaz de identificar a infecção pela Covid-19 por meio de punção digital. “Dessa forma, a presença de anticorpos específicos no corpo, conhecidos como IGM e IGG, é capaz de dizer se a criança teve contato com a doença”, explica Tabatha Corradi, do Departamento de Atenção e Integração à Saúde, responsável pelas Unidades Básicas de Saúde de Guarulhos.

Para Christiane Vaz, chefe da Escola 360, a testagem é de grande importância nesse período que antecede a retomada das aulas nas escolas da rede municipal. “A dimensão de quantas crianças foram infectadas ou tiveram contato com o vírus proporciona uma volta mais segura, tanto para os próprios alunos quanto para os profissionais que atuam nas escolas da Prefeitura”.