Compras online crescem na pandemia, mas como evitar fraudes?

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Especialista em direito digital dá 5 dicas de proteção virtual; confira

Em meio a medidas de isolamento social em combate à covid-19, comércios de vários setores tiveram que restringir suas atividades presenciais.

Com todo mundo em casa, a compra online acaba se intensificando naturalmente. Diversos comerciantes migraram suas vendas para plataformas de e-commerce, redes sociais e até para aplicativos de mensagens. Mas é preciso que o consumidor fique alerta para tentativas de golpes e fraudes.

O advogado Francisco Gomes Júnior, especialista em direito digital, responde a perguntas e dá dicas de proteção na hora de realizar as compras virtuais.

Posso passar meu CPF em lojas e sites de compras?

Nas compras na própria loja (compra física) não há obrigação de fornecer o CPF, sendo esta uma decisão do cliente. Já nas compras online o fornecimento do CPF é necessário para a emissão da NFE (nota fiscal eletrônica).

O mais importante é fornecer apenas os dados necessários para a concretização do negócio. Caso entenda que estão sendo solicitados mais dados do que os necessários, entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente da empresa ou outra forma de contato oferecida no site/rede social ou aplicativo.

Como saber se a empresa é confiável?

Sempre pesquise na internet a idoneidade e reputação da empresa. É possível pesquisar em site de reclamações de consumidores, sites de Institutos de Defesa do Consumidor ou mesmo do PROCON. Além disso, verifique a razão social, endereço, telefone e CNPJ, que devem estar visíveis e de fácil acesso para os consumidores.

Como avaliar se o site é confiável?

Um fator importante é a certificação digital. O e-commerce que preserva os dados dos clientes e a segurança da compra e que possui selos de segurança e certificações digitais (ISSO) são em tese seguros. Outra dica importante é optar sempre por endereços de URL que apareçam com o símbolo do cadeado. Se o cadeado não estiver fechado os dados podem estar vulneráveis a eventuais ataques.

Qual a forma mais segura para efetuar o pagamento?

Os cartões virtuais têm sido grandes aliados dos consumidores na hora da compra. Por possuírem código e número de cartão único válidos somente para aquela transação específica, o roubo das informações e possíveis fraudes ficam mais difíceis.

Realizar uma TED ou DOC é uma operação que não é tão ágil como um PIX, mas que para valores significativos pode ser uma melhor opção, já que são necessários mais dados para que a transferência de valores se realize e pode haver reversão da operação.

Devo confiar em links para pagamento online?

Os links para pagamentos online sempre são gerados a partir de uma plataforma de gestão de pagamento junto ao comerciante. Vale sempre ficar alerta sobre a idoneidade de quem você está comprando, além da origem deste link.

Sempre dê preferência para sites que começam com “https” e não “http”. Ainda mais importante do que ter segurança e conhecimento sobre quem está te vendendo, é ter a mesma sensação sobre os parceiros de negócios dessa empresa.

Para isso, você pode utilizar sites como Reclame Aqui e o próprio Procon, para fazer pesquisas. As plataformas de pagamento com boa credibilidade são bastante conhecidas, caso se depare com alguma plataforma que nunca ouviu falar, pesquise sua procedência.