Governo do Estado envia à Alesp projeto de auxílio para desempregados

Foto: Divulgação

O novo programa terá bolsa-auxílio, além de qualificação online por meio do Via Rápida

O governo de São Paulo estima beneficiar mais 100 mil pessoas até o final do ano com o programa Bolsa-Trabalho, que vai oferecer bolsa-auxílio e qualificação profissional online. O foco é atingir a população desempregada e está fora da cobertura do auxílio emergencial.

A expectativa é que os beneficiários recebam bolsa-auxílio de R$ 450 por até cinco meses. Dentre as atividades poderão ser incluídos a contratação de mães e pais para atuar nas escolas, apoiando na retomada das aulas.

O projeto é oriundo do Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego (PEAD) cuja proposta de lei será enviada à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). O projeto deverá beneficiar 70 mil bolsistas até o final do ano, em parceria com as prefeituras.

As principais mudanças na proposta são: o aumento do auxílio, a possibilidade de órgãos públicos (como prefeituras) ampliarem as bolsas, qualificação profissional online e inclusão de novos serviços de trabalho.

Os bolsistas também irão realizar curso de qualificação profissional online do Via Rápida Virtual. As aulas serão ministradas pelo Centro Paula Souza e Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp).

Os cursos serão nas áreas de atendimento, vendas e gestão e terão duração de pelo menos 60 horas. As prefeituras poderão oferecer laboratório de computador e tutor para apoiar os beneficiários. O pagamento será feito por meio de código bancário, que o aluno usará para sacar em caixa eletrônico.

A partir da primeira semana de março, os estudantes que se inscreverem nos cursos de qualificação do programa Via Rápida receberão uma bolsa única de R$ 210 como ajuda de custo no transporte e alimentação, que será disponibilizada após 10 dias de aula.

O recurso valerá também para os cursos de 60 a 160 horas do SP Tech e SP Criativo. Até o final de 2021, serão ofertadas 30 mil vagas de qualificação profissional com bolsa-auxílio. Os cursos ocorrerão tanto de maneira presencial quanto remota.

Serão 10 opções de áreas profissionais de escolha dos alunos e as aulas presenciais deverão ocorrer em 29 unidades móveis ou espaços oferecidos pelo Centro Paula Souza, Senac e municípios. Já as remotas serão com aulas ao vivo pelo Microsoft Teams ou Google Meet.

Para receber a bolsa-auxílio, o estudante deverá ser maior de 16 anos, estar desempregado e domiciliar no Estado de São Paulo. Além disso, é necessário estar frequente no curso e não pode ser beneficiário de seguro-desemprego.

As informações sobre o auxílio do programa Via Rápida poderão ser consultadas no site www.cursosviarapida.sp.gov.br. Já as inscrições começam nesse mesmo site na primeira semana de março.