Guarulhos e Alto Tietê vão adotar restrições mais severas para contenção da pandemia

Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

Decisão deve ser anunciada na quinta-feira (04) após conversas com setores produtivos; parques devem fechar de imediato, conforme decisão do Conselho de Prefeitos

A região do Alto Tietê, por meio do Consórcio dos Prefeitos decide na próxima quinta-feira (04) a adoção de restrições da fase vermelha para conter o avanço da pandemia de coronavírus. A decisão será tomada somente após tratativas com os principais setores produtivos das cidades.

A medida visa minimizar os impactos econômicos, conforme acordado no início da noite desta terça (02) pelos integrantes do Condemat. De imediato, os prefeitos decidiram por fechar equipamentos públicos, como parques e bosques, para restringir a circulação.

O Conselho de Prefeitos se reuniu duas vezes no dia de hoje – uma vez pela manhã e outra no início da noite, após encontro virtual com o Governador João Doria. Na reunião, foi alertado sobre a gravidade dos próximos 10 dias em todo o Estado diante do avanço dos números.

O posicionamento da maioria dos prefeitos do Alto Tietê é pela cobrança ao Estado para ampliação imediata de leitos na região e de diálogo dos municípios com os setores produtivos. Sá então, medidas mais restritivas serão tomadas pelo Consórcio.

Fase Vermelha

Mogi das Cruzes já decretou a fase vermelha e Santa Isabel deverá seguir o mesmo caminho nas próximas horas. Já Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Poá, Salesópolis, Santa Branca e Suzano, vão tomar decisão em bloco.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde, a taxa atual de ocupação de leitos na região do Alto Tietê é de 89,4%, sendo que em Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Santa Isabel, a taxa de ocupação chegou a 100% entre leitos de UTI.

Os dados mostram ainda uma alta no número de novos casos em aproximadamente 30% nos últimos 14 dias, com relação aos 14 dias anteriores. Somente no dia de hoje (02) foram registrados 349 novos casos e 23 óbitos nos municípios consorciados.

Faltam leitos

Durante a reunião com o Estado, os prefeitos voltaram a demonstrar insatisfação com o Governo por causa da falta de retorno aos inúmeros pedidos de ampliação de leitos na região.

“Desde o ano passado estamos mobilizados na busca da ampliação da oferta de leitos de UTI e Enfermaria e até o momento não tivemos nenhum retorno. Repudiamos veementemente essa falta de apoio e de atenção do Governo do Estado com a nossa região que tem mais de 3 milhões de habitantes.”, reforçou o presidente do Condemat, Rodrigo Ashiuchi.