Profissionais da Educação serão prioridade no Plano Nacional de Vacinação (PNI)

Foto: Governo do Estado de São Paulo

Na noite desta terça-feira (02) o governo federal informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a área da educação fará parte da lista de serviços essenciais com acesso prioritário à vacina. A decisão já estava sendo discutida por autoridades e era cobrada pela sociedade civil.

A informação foi divulgada pela Agência Reuters que teve acesso ao documento encaminhado à corte. Em Nota, a Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, disse entender que o ambiente de escolas e universidades são potenciais na exposição à infecção por Covid.

No mês passado, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou, durante reunião com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que estudava inserir professores como grupo prioritário. Mas, uma adaptação deveria ser feita no Plano Nacional de Imunização (PNI) até março.

A volta às aulas para o regime presencial que é de responsabilidade das prefeituras e vem sendo adiada mês a mês. Em Guarulhos, o retorno está previsto para 16 de março, mas somente no mês passado, a prefeitura começou a testar o grupo de profissionais.

A administração municipal diz que enviou ao Ministério da Saúde ofícios argumentando a imunização como aliada na abertura das escolas. A medida garantiria mais segurança aos educadores e as famílias que temem atividades presenciais.

A prefeitura disse ainda, que o Prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSD) abordou o tema durante a reunião dos prefeitos com o Pazzuelo. Desde o ano passado, Guti tem tratado sobre o tema, mas para cumprir a agenda, a medida deve estar em consonância com o PNI.