STAP e funcionários da Proguaru realizam ato contra extinção e pressionam executivo municipal

Foto: STAP/Reprodução

Sindicato mobilizou primeiro movimento de pressão contra fechamento da Proguaru, após aderir a campanha em favor ao referendo municipal

Funcionários da Proguaru atenderam a solicitação do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (STAP) e compareceram ao ato em defesa da empresa realizado na manhã desta sexta-feira (30) em frente ao Paço Municipal, no Bom Clima.

Na pauta, o STAP solicitou acesso aos documentos do relatório feito pela FIPE, a pedido da Prefeitura de Guarulhos, conforme prevê a LEI Nº 7.879 de 21 de dezembro de 2020. A data final de entrega está prevista para o último dia do mês de julho, de acordo com a lei.

Nesta ocasião, o Sindicato voltou a reclamar sobre a falta de discussão social a respeito do fim da Proguaru. Até agora, segundo o sindicato, os argumentos estão em torno do financeiro. O governo municipal atua sob a justificativa de contratar empresas privadas para terceirizar os serviços por menor preço.

Entretanto, não apresentou nenhuma iniciativa como consulta popular, debates na Câmara de Vereadores ou até mesmo audiências públicas sobre o projeto de extinção. Ao contrário, o executivo enviou às pressas, para antiga legislatura, o projeto de lei que foi aprovado pela maioria dos vereadores, que integram a base aliada.

Além da presença da entidade principal, outras centrais sindicais têm se juntado ao movimento contrário a extinção e se mostraram favoráveis a continuidade da empresa. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical, divergentes entre si, criticaram a atuação de Guti (PSD) e de alguns vereadores frente a cidade.

Após a assembleia da última sexta-feira (23) que culminou na junção do STAP ao movimento Em Defesa da Proguaru, o sindicato diz que recolheu mais de 1.500 assinaturas a favor do referendo municipal. Segundo Pedro Zanotti, presidente da entidade sindical a proposta é colocar a cidade na discussão sobre a Proguaru.

A coleta de assinaturas prevê chegar em 10 mil até 12 de agosto, neste momento, são pouco mais de 7.500. O movimento recolhe diariamente nome e título de eleitor em diversos pontos da cidade, inclusive em uma tenda instalada em frente a Igreja Matriz.